sábado, 12 de novembro de 2011

Primeira Capitulo -o primeiro encontro-

Mais uma noite viria, mais uma noite iria ser para esquecer pensava a pobre Vanessa que via a filha dormir que nem um anjinho, era assim todas as noites, ponha Maria a dormir e esperava que a sua vizinha chegasse e tomasse conta dela enquanto Vanessa ia trabalhar, partia-lhe o coração deixar a sua filha sozinha durante a noite mas tinha que ser, tinha que pôr dinheiro em cima da mesa, tinha de ter como alimentar a sua filha que era tudo para si, esperou a sua vizinha chegar e assim que ouviu a campainha de sua casa tocar deu um beijo na testa da filha e foi abrir a porta a sua vizinha entrou e Vanessa saiu dando a mesma desculpa de sempre "temos de nos fazer á vida e nao me importa ter de servir em bares para dar de comer á minha filha!" Vanessa nao contava a ninguém a sua profissão, a ninguém excepto a Ashley que era como uma irmã para ela, saiu de casa e foi pro lugarzinho do costume esperar pelos clientes do costume.


La estava Zachary impecável e lindo como sempre naquele smoking azul escuro e com uma camisa branca e simples por dentro ninguém conseguia achar um único defeito naquele homem, ele era absolutamente perfeito, simpático, bondoso, querido, romântico, caridoso e tudo mais, sem falar na sua aparência que era mais que perfeita um corpo esculpido pelos céus, uma pele com um leve moreno que lhe dava um ar super sexy, uns lábios carnudos que davam vontade de prova-los, um cabelo macio e loiro que brilha ao céu e para finalizar uns olhos de fazer qualquer mulher perder-se naquela imensidão de azul, em poucas palavras absolutamente perfeito, nao era á toa que Zachary era cobiçado por mulheres em todo o mundo e de todas as idades porem o homem mais cobiçado já estava comprometido e nao com a mulher que amava, Zachary estava noivo com uma mulher que nunca lhe tinha interessado, já a conhecia á muito tempo mas nunca quis nada com ela pralem de uma amizade porem foi forçado pelo seu pai a casar com ela, o pai de Zachary, Giancarlo, sempre quis ver o filho casado e com filhos, desde cedo que incentivou Zachary a casar com Lindsay mas nunca tinha conseguido ate algum tempo atrás quando pôs o filho contra a parede, ou ele casava com a Lindsay ou então Giancarlo nao lhe passava o comando da empresa para as mãos, a mãe de Zachary nao concordava com isto mas nao podia dizer nada, na casa de Zachary sempre foi assim, o seu pai decidia as coisas e ninguém podia contestar, sendo assim Zachary viu-se obrigado a aceitar casar com Lindsay, a empresa sempre foi o sonho de Zachary e quando ele estava prestes a pôr-lhe as mãos o seu pai encosta-o á parede e fa-lo fazer uma coisa que Zachary nunca quis fazer sem amor, Zachary sabia que nunca iria amar Lindsay, eles eram exactamente o oposto um ao outro mas isso nao era o pior o pior era que Lindsay nao queria ter filhos ao contrario de Zachary que queria ter 3 filhos, sempre foi o seu sonho, ter três meninas lindas a correr pela casa porem com Lindsay nao iria conseguir nada disso, ela nao queria estragar o corpo, a sorte era que Zachary só tinha de estar casado com Lindsay durante um ano, o tempo suficiente para a empresa ser realmente sua e já ninguém a conseguir tirar das suas mãos, claro que o seu pai nao fazia ideia que Zachary pensava em divorciar-se mesmo antes de casar mas isso também nao lhe importava. Neste momento la estava Zachary em casa da sua futura mulher a fingir estar contentíssimo pelo acontecimento que deveria ser o mais importante da sua vida, já estava farto de ouvir Lindsay falar de decoração e de lua-de-mel! Sera que ela nao conseguia falar de mais nada pralem disso?!
Lindsay : ai amor vai ser perfeito! vamos ter um casamento de réis -disse Lindsay agarrada a Zachary que já estava farto de a ouvir-
Zachary : sim eu sei, tu já me disseste isso mais de mil vezes! eu nao sou surdo Lindsay, ouço á primeira nao é preciso estar sempre a repetir o mesmo! -disse Zachary já sem paciência para aturar aquela mulher-
Giancarlo : Zachary isso são maneiras de tratar a tua futura esposa?! Sê por favor mais simpático! -disse Giancarlo a fazer cara feia para Zachary que nem ligou-
Zachary : eu seria mais simpático se tivesse sido eu a escolher a minha noiva mas ela foi-me imposta por isso nao me peçam para ser simpático se eu nao estou nada feliz com isto! e por favor vamos deixar-nos de teatros e falsidades porque todos aqui sabem que este casamento só vai acontecer porque eu quero ficar com a empresa! nada mais! -disse Zachary ao tirar os braços de Lindsay da sua cintura- e quanto aos senhores (pais de Lindsay) eu nao sei como os senhores permitem que a vossa filha se preste a este papel! eu nao a amo e nunca vou amar e mesmo assim vocês estão de acordo com este casamento que nao faz o mínimo sentido! Agora se me dão licença eu vou embora que já nao aguento tanta falsidade junta!
Lindsay : mas amor nos ainda nem jantamos! -disse Lindsay a voltar agarrar Zachary-
Zachary : tanta falsidade tirou-me o apetite mas nao te preocupes o casamento continua de pé, eu nao quero perder a empresa! -estas foram as ultimas palavras de Zachary antes dele sair daquela casa e bater a porta com toda a força, Giancarlo estava a fumegar assim como Lindsay e os seus pais, este casamento era bom para todos eles principalmente para Lindsay que sempre foi apaixonada por Zachary, só a mãe de Zachary estava contento no meio daquela gente toda, estava orgulhosa do filho e de tudo aquilo que ele tinha dito, ele tinha razão e ela estava realmente orgulhosa.


Vanessa estava realmente em uma maré de azar, já faziam duas noites que nenhum dos seus clientes a procuravam, será que eles se tinham fartado dela ou dela nao ir pra cama com eles?! Estava realmente farta de estar ali sem fazer nada, quando esteva prestes a ir embora vê um homem aproximar-se dela, um homem diferente de todos os outros que a tinham procurado, este tinha bom aspecto, muito bom aspecto, o que será que ele estava ali a fazer?!
XXX : eu quero-a na minha cama! -whooow! Todo aquele enquanto tinha ido por agua abaixo assim que ele tinha pronunciado aquelas palavras, Vanessa nunca viu ninguém assim tão directo, ele chegou ali e disse logo aquilo que queria!-
Vanessa : eu nao vou pra cama com ninguém! eu posso estar consigo e passar um pouco de tempo consigo mas ir pra cama eu nao vou! -disse Vanessa seria, aquele homem metia medo ao perto, tinha raiva nos olhos-
XXX : eu nao lhe perguntei se queria ir pra cama comigo, eu disse que a queria na minha cama! é diferente! -disse aquele homem agarrar Vanessa fortemente chegando mesmo a maguala-
Vanessa : larga-me! eu já disse que nao vou pra cama consigo! nem consigo nem com ninguém! se quer uma mulher que va pra cama consigo é nas ruas mais á frente! LARGUE-ME! -disse Vanessa já a gritar, aquele homem estava a maguala e toda a gente que passava fingia que nao ouvia os pedidos de socorro de Vanessa-
XXX : nao vale a pena gritar ninguém vai vir ajudar-te, ninguém nesta cidade ajuda uma prostituta por isso aconcelho-te a parares de gritar e a fazeres logo aquilo que eu quero! -disse o tal homem a apertar ainda mais Vanessa que já tinha as lágrimas nos olhos-
Vanessa : eu já lhe disse que nao vou para a cama com ninguém! eu nao sou dessas! pelo menos já nao sou! largue-me AGORA! - se Vanessa já estava com lágrimas nos olhos neste momento elas caiam e queimaram o seu rosto moreno e delicado-
XXX : ai nao es dessas?! olha que a tua roupa aparenta coisa e o local onde tu estas também! -disse o homem cínico e a olhar Vanessa de cima de baixo-
Vanessa : LARGUE-ME! EU NAO VOU PRA CAMA CONSIGO! LARGUE-ME AGORA! -disse Vanessa já desesperada vendo que ninguém a vinha ajudar, como as pessoas conseguiam ser tão preconceituosas, tão mesquinhas ao ponto de verem uma mulher desesperada a pedir ajuda e nao fazerem nada! como poderia no mundo existir pessoas assim?! sempre em toda a sua vida Vanessa teve que viver com olhares de preconceito e nojo em cima de si mas nem por isso deixou de fazer a única coisa que sabia, nao tinha vergonha do que fazia mas também nao se sentia orgulhosa do seu trabalho mas na vida nem sempre se tem aquilo que se quer e Vanessa nao se importava de ter de passar por tudo novamente só para ter a sua filha consigo, a sua filha sim lhe importava, o que ela pensava sim lhe importava, agora o que os outros pensam?! isso entra-lhe a 100 e sai-lhe a 200 pelos ouvidos, nenhum deles tinha o direito sequer de lhe apontar o dedo, nao passaram nem por metade daquilo que Vanessa tinha passado e por isso mesmo Vanessa tinha sempre o queixo levantado, fazia o que fazia para sobreviver e para ter uma casa, comida e roupa para dar á filha, isso sim lhe importava. Quando pensou que ia apanhar uma valente sova do homem que a agarrava cada vez com mais força fazendo-a chorar a ainda pedir por socorro vê um carro parar na frente deles e de dentro dele sair um homem lindo, um verdadeiro princepe-
YYY : largue a moça nao a esta a ouvir? -perguntou o homem que por sinal tinha uma voz rouca com timbre poderoso-
XXX : é melhor pores o pé daqui pra fora rapaz! nao estou com disposição para discussão! -disse o homem a tentar meter medo no outro e ao mesmo tempo agarrar Vanessa que olhava prós olhos da única pessoa que teve a decência de a defender, de a ajudar, olhava para ele com um olhar de quem pedia ajuda e urgentemente enquanto as lágrimas caiam como uma cascata no seu belo rosto-
YYY : se o senhor nao sair daqui agora mesmo eu chamo a policia e garanto-lhe a prossima vez que me vai ver vai ser numa das salas do tribunal! -disse o homem a levantar a voz-
XXX : sim faça isso é da maneira que esta vagabunda vai pa dentro também! -disse o homem a puxar os belos e longos cabelos negros de Vanessa-
YYY : nao tenha tanta certeza disso! eu nao costumo fazer isto mas com o dinheiro que eu tenho posso mando-lo prender na hora que eu quiser e na rapariga nem tocam! agora a escolha é sua ou sai daqui agora e larga a rapariga ou eu chamo a policia e eu próprio me encarrego da sua detenção! qual vai ser?! -o homem XXX ao ver que o homem YYY nao estava a brincar largou rapidamente Vanessa e saiu dali a correr, Vanessa por um impulso correu em direcção do homem YYY e abraçou-o com todas as suas forças, nao esperando esta reacção o homem YYY nada fez pralem de abraçar a bela morena que estava neste momento nos seus braços com a respiração acelerada de tanto chorar, o homem YYY sentia as lágrimas da bela morena no seu ombro, tentou acalma-la mas ela nao parava de chorar, levou-a envolvida nos seus braços ate ao seu carro que ainda estava parado na frente deles, sentou-a no banco de carona e foi pro lugar do condutor, a rapariga estava num estado lastimável chorava que nem uma cascata a verter agua-
YYY : tenha calma já nao precisa chorar, nao lhe aconteceu nada! por favor acalme-se! -disse o homem com uma voz doce tentando fazer Vanessa acalmar-se mas ela nao conseguia estava demasiado assustada, nunca desde os seus 18 anos lhe tinha acontecido uma coisas destas, estava realmente assustada, mais uma vez num acto nao pensado Vanessa apenas abraça o homem a quem certamente devia a vida, um abraço carinhoso onde Vanessa se sentiu protegida e conseguiu acalmar um pouco o choro- já se sente melhor? -perguntou o homem realmente preocupado ao limpar as lágrimas da cara da bela morena-
Vanessa : sim obrigado! -disse Vanessa com dificuldade por causa do choro-
YYY : nao tem de agradecer qualquer pessoa o faria!
Vanessa : ai é que você se engana, você foi a única pessoa que me ajudou das muitas que me ouviram a pedir ajuda! -disse Vanessa com a sua voz doce e de menina-
YYY : isso agora nao interessa nada, as pessoas conseguem ser realmente maldosas, o que importa agora é que você esta bem e que nada lhe aconteceu! -disse o homem ao passar a mão pela cara da bela morena que neste momento abriu um pequeno sorriso, pequeno mas que já dava pra ver os seus belos dentes, certamente tinha um belo sorriso- desculpe nem me apresentei, Zachary Efron prazer! -disse o homem a sorrir-
Vanessa : Vanessa Anne, o prazer é meu! -disse Vanessa também a sorrir mas desta vez com um grande sorriso- bom muito obrigado por tudo mas eu tenho que ir, já é tarde e a minha filha esta em casa com a minha vizinha e eu tenho de ir pra la, já esta tarde! -disse Vanessa ao abrir a porta do carro, porem Zac pegou-lhe na mão fazendo Vanessa voltar-se novamente para ele-
Zachary : filha? -perguntou Zachary admirado- você tem uma filha? -Vanessa apenas acenou com a cabeça- não parece nada você parece ter mais ao menos 20 anos, não tem idade para ter uma filha!
Vanessa : bom eu penso que posso levar isso como um elogio visto que sou 10 anos mais velha! -disse Vanessa a sorrir-
Zachary : você tem 30 anos?! -perguntou Zachary realmente admirado, não dava mais de 22 anos aquela bela mulher que neste momento sorria para si-
Vanessa : parece que sim! bom eu não me importava de continuar a falar consigo mas tenho mesmo que ir, não gosto de deixar a minha filha sozinha!
Zachary : não esta a sua vizinha com ela?
Vanessa : esta mas mesmo assim, a senhora já tem uma certa idade e uma mãe nunca esta bem quando deixa uma filha sozinha, ainda mais á noite tendo ela apenas 4 anos!
Zachary : como vai para casa?
Vanessa : apanho um táxi ali na próxima rua, não se preocupe!
Zachary : não nem pense nisso, feixe a porta que eu levo-a casa, não a vou deixar apanhar um táxi a uma hora destas, é demasiado perigoso! -Vanessa ia reclamar mas a voz de Zachary abafou a dela- nem vale a pena reclamar! vamos feixe essa porta que eu deixo-a em casa, fico mais descansado se assim for!
Vanessa : tudo bem mas só se depois entrar la em casa e tomar um café comigo! é o mínimo que eu posso fazer e nem vale a pena reclamar! -disse Vanessa fazendo Zachary rir-se-
Zachary : tudo bem! você manda!
Vanessa : sendo assim podemos ir! -Vanessa fechou a porta e explicou a Zachary onde morava, durante todo o caminho falaram sobre a filha de Vanessa, Maria, Zachary havia gostado do nome, Maria fazia lembrar-lhe uma princesa e para Vanessa Maria era a sua princesa, não vale a pena nem dizer que eles se deram bem, quando estavam juntos não precisavam fingir ser aquilo que não sao coisa que mesmo com profissões bastantes distintas faziam a quase toda a hora, foi maia ao menos meia hora de viajem ate casa de Vanessa, assim que chagaram Zachary olhou para onde Vanessa morava e fechou a cara, Vanessa reparou-
Vanessa : não é preciso fazer essa cara, há quem viva em sítios bem piores! -disse Vanessa desapontada com o olhar daquele homem que ate agora parecia perfeito-
Zachary : não! não é nada disso que esta a pensar, eu apenas acho que este não seja o lugar mais apropriado para viver uma criança, só isso! eu não sou preconceituoso, nunca o fui nem nunca o serei e acho que estar aqui consigo é a maior prova disso! -disse Zachary realmente sincero-
Vanessa : sim tem razão, desculpe mas quando eu o vi olhar com a cara fechada pensei que ... esqueça eu não o queria ofender! vamos entrar?!
Zachary : sim sim claro eu só vou estacionar o carro! -Zachary estacionou o carro e entrou no prédio com Vanessa, não era um prédio la muito bom, Zachary já tinha constatado e por dentro não era muito diferente, era tudo velho e de madeira, não havia elevador, ainda bem que Vanessa morava no primeiro andar, entraram em casa de Vanessa, era uma bela casa, simples e pequena mas linda-
Vanessa : bom eu vou dizer á Emília que ela já pode ir, pode ficar á vontade que eu já volto!
Emília : não precisas ir chamar-me eu já aqui estou e já vou embora! a Maria esta a dormir desde que tu saíste, ano acordou nem sequer se mexeu!
Vanessa : ainda bem! obrigado mais uma vez por ficares com ela!
Emília : esta menina é um anjinho, não me da trabalho nenhum fico aqui com ela com gosto! bom eu vou-me embora que vejo que hoje trazes companhia, já era sem tempo! -disse Emília a olhar para Zachary e sem ele perceber deu um sorriso que só Vanessa percebeu o que queria dizer "bom gosto, ele é lindo", Vanessa apenas se riu e acompanhou Emília á porta- amanha estou aqui á mesma hora!
Vanessa : ok! boa noite!
Emília : boa noite! -Emília foi embora e voltou pra sala onde viu Zac com um porta retratos na mão-
Zachary : é a tua filha?!
Vanessa : sim! essa foto foi numa festa de anos de um amiguinho dela! -disse Vanessa a sorrir ao lembrar o entusiasmo da filha no dia da festa-
Zachary : ela é linda! uma verdadeira princesa! diferente da mãe mas também é uma princesa! -nota autora : alguém percebeu a indirecta do Zachary?!-
Vanessa : a minha princesa! é por ela que eu tenho o trabalho que tenho! eu por ela era capaz de comer o pão que o diabo amassou, ela é a minha razão de viver, é por ela que eu faço tudo o que faço! -disse Vanessa com lágrimas nos olhos-
Zachary : e eu tenho a certeza que quando a Maria cresceu vai ter orgulho na mãe que tem e vai ser a menina mais sortuda do mundo por ter uma mãe como tu! -disse Zachary aproximando-se de Vanessa-
Vanessa : tu não me vais julgar pelo meu trabalho?! não me vais chamar nomes?! tratar-me mal como todos fazem?! -disse Vanessa a olhar bem fundo nos olhos de Zachary-
Zachary : eu não sou ninguém para te julgar! todos nos cometemos erros uma vez e mesmo que tu os cometas todos os dias fazes-lo por uma causa mais que justificável! nunca na minha vida te iria julgar por tu fazeres de tudo para a tua filha ter aquilo que ela merece! isso a mim só me faz ver o quanto boa mãe e boa pessoa tu és! -disse Zachary já com a mão no rosto de Vanessa a secar-lhe as lágrimas-
Vanessa : obrigado! obrigado por não me julgares! -disse Vanessa abraçando Zachary que a acolheu num abraço apertado e carinhoso-
Zachary : podias agradecer-me levando-me a ver a menina mais linda que eu já vi em toda a minha vida! -disse Zachary e sorrir-
Vanessa : vamos la mas não faças barulho ela esta a dormir e quando a acordam ela fica com um humor que ninguém aguenta! -disse Vanessa a sorrir-
Zachary : eu prometo não fazer barulho! -e assim foi, Vanessa levou Zachary ate ao quarto de Maria que dormia calmamente, Zachary ficou encantado com a menina, ela era linda era realmente uma princesa, ficaram alguns minutos a ver Maria dormir e depois foram tomar o café que foi mais para jantar visto que Zachary não havia jantado e Vanessa quase nada comeu, Vanessa fez uma massa com macarrão e Zachary claro adorou, podia ser rico e tudo mais mas de senobre e nariz empinado nao tinha nada, adorava comidas simples, e Vanessa cozinhava lindamente.-


Por hoje é tudo, espero que tenham gostado do Primeiro Capitulo! Comentem muito a dizer o que acharam, fico á espera da vossa opinião! BEIJOS Manu :)

10 comentários:

Margarida disse...

cap muito bom:)
o zac esta a começar a gostar da van...
posta logo
bjs

stephanie_95_7 disse...

O Zac foi tão querido a proteger a Vanessa :)
Um verdadeiro cavalheiro
Tá espetacular o 1º capítulo
XOXO

Evelly disse...

own fiquei apaixonada por
esse cap! o zac é tãooo fofo!
a atitude dele com a vanessa foi
mara! muito bom ameei posta logo bjs

Let´s Lanza disse...

AMEIIII essa nova fic,só de ler o primeiro cpítulo já fiquei apaixonada!Ozac é mesmo um fofo,mas e o pai da Maria?hummm
Bjs
Posta Logo viu?

Margarida Oliveira disse...

Grande e muito bom capítulo, adorei a imagem de fundo.

thaina266 disse...

adoreiii ta lindooo!
beijos flor
posta logooo!

♥Laís♥ disse...

Cap muito bom!
Posta logo
Bjs ;*

Rayanee' disse...

amei,se o primeiro cap ta assim imagina os proximos
o Zac é muito fofo
posta logo, beijos

- ℓιηє ♥ disse...

Amei...
Historia diferente...
Adorei...
Posta logo em!
bjos

Evelly disse...

você começou agora mais já
ganhou um selinhoo ;*
dá uma passada no meu blog.
bjs posta logo